terça-feira, 3 de março de 2009

Como fazer amor

Como se todos os beijos, abraços, os gritos afinados, a sinergia de nossas mãos e todas as cartas de amor escritas na pele, não fossem suficientes para nos manter pra sempre juntos, você ainda se atreve a declarar palavras em voz alta, sem medo que as borboletas te ouçam e com os olhos fitados nos meus, sem espaço para que a inverdade nos toque, você diz:
-Sabe quando eu descobri que você era o amor da minha vida? Quando eu percebi que se eu não fosse eu, queria ser você.
bjo
Karla Brito