terça-feira, 4 de agosto de 2009

Nativo da região do Ártico

Sabe quando se respira ofegante de tanto sentir, com muito pra dizer e tudo que consegue é chorar como quando você era criança e sua mãe te deixava na casa da sua tia pra poder sair à noite?
Quando o Djavan diz que amar é quase sofrer, acredite. Não me entenda mal, o sofrimento aqui dói de tão bom.
Felicidade vicia e hoje a minha felicidade tem nome, sobrenome e eu posso tocar. Mas por ser a minha felicidade, quando não está comigo é tristeza.
Tenho descoberto as mais novas e agonizantes formas de sentir, de uma vez só, sem anestesia, sem medo, entregue a minha própria sede de viver.
Mas não deixa de ser dor só por ser bom, na anti-vontade de fazer qualquer coisa que você não esteja, de escutar só as musicas que você me indicou e achar que o que você pensa está sempre certo.
E eu que pensava que sabia alguma coisa sobre o amor, descubro que sei mais sobre ursos polares.

bjo
Karla Brito

4 comentários:

Li disse...

ooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo... Que post lindo, Karlinha...
É, eu tb achei que sei mais sobre gorilas e hipopótamos do que eu sei sobre o amor..

Carol Freitas disse...

aah, que bom vir aqui e ver tantos posts apaixonados e fofos, karlinha :}

escreve tão leve! =}

:**

Wan Monteiro disse...

Nossa!
Me ensina essa felicidade?
Pois te garanto que não aguento mais Ursos Polares e Física Quântica.
Te amo. Mais q sempre.

Renan! disse...

tu tá tão feliz, mas tão feliz, que me dá medo. mas sei que esse medo é pq estou longe e não tô de olho em você como antes. mas só por ora.