segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Sobre mim



Se alguém perguntar por mim
Diz que fui por aí
Levando o violão embaixo do braço
Em qualquer esquina eu paro
Em qualquer botequim eu entro
Se houver motivo
É mais um samba que eu faço
Se quiserem saber se volto
Diga que sim
Mas só depois que a saudade se afastar de mim

Tenho um violão para me acompanhar
Tenho muitos amigos, eu sou popular
Tenho a madrugada como companheira
A saudade me dói, o meu peito me rói
Eu estou na cidade, eu estou na favela
Eu estou por aí
Sempre pensando nela

4 comentários:

Wânyffer e Aline disse...

ah, a saudade! tão gostosa e angustiante. bela palavra da língua portuguesa q temos a honra de possuir, mas poucos sabem usufruir de seus prazeres. vai dizer q n é mto mais gostoso 'rever'? hehe

Camiℓa Oℓiveira disse...

É tão bom ouvir uma música e achar que ela descreve a sua vida..

Maria Clara disse...

Lindinho ;D

­­Luana Silva disse...

o que me consola na saudade, é a hora de reencontrar. aquela ansiedade, vontade que não cabe no próprio corpo!
por falar nisso, saudades suas, girl. ;)
adorei a músca, Karl"ota".
Beijooo:*